A naninha fica com a criança até quando ela quiser inclusive durante todo o período escolar.

A “naninha” é uma grande aliada do desenvolvimento infantil. Winnicott descreve sua função como de transicionalidade, que ajuda a criança a suportar a ausência materna. Não há limites para o seu uso, já que ele traz o conforto que a criança precisa.
Limitar o uso de “naninha” por qualquer justificativa é totalmente injusto com a criança que precisa dela para se sentir segura. Lentamente esse objeto vai deixando de ser importante e só nos cabe acompanhar e respeitar esse processo.
Psicóloga Márcia Tosin
Ps: é normal não ter “naninha”.